• 453
  • 0

Além dos mercados de higiene, beleza, alimentação e bebidas, produtos medicinais podem beneficiar 3,4 milhões de pacientes

Nano CBD: Cannabidiol made with the human body in mind

Com a decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no ano passado de liberar a venda em farmácias de produtos à base de cannabis no Brasil, o mercado doméstico abre espaço para a geração de R$ 12,7 bilhões na economia, segundo projeção da Dr. Cannabis, especialista em consultoria, orientação e parcerias para empresas que querem entrar no segmento no país.

estimativa é conservadora e não leva em consideração o uso medicinal da planta, apenas bebidas, cosméticos e alimentos, explicou Viviane Sedola, CEO e fundadora da Dr. Cannabis, durante sua participação na conferência anual promovida pelo Credit Suisse a investidores em São Paulo.

Os cálculos consideram que o mercado de cannabis consiga abocanhar uma pequena mordida dessas grandes mercados no Brasil.

Veja na tabela abaixo:

Potencial da indústria da maconha no Brasil

Setores Mercado brasileiro total Parcela do setor que pode ser atendida por produtos com Cannabis Estimativa para o mercado de Cannabis
Beleza e higiene R$ 50 bilhões 5% R$ 2,5 bilhões
Cerveja R$ 74 bilhões 10% R$ 7,4 bilhões
Alimentos R$ 564 bilhões 0,5% R$ 2,8 bilhões

Com a regulação da Anvisa, as empresas interessadas podem começar a pedir licenças para seus produtos a partir de março deste ano.

Lá fora, essa iniciativa já foi feita por grandes marcas, como a Ambev e a Corona, no ramo de cervejas, e a Ben & Jerry’s, de sorvetes.

No campo medicinal, a consultoria americana New Frontier Data projeta um mercado de 3,4 milhões de pacientes ao ano no Brasil que podem ser atendidos por medicamentos com cannabis.

“Mais de 50% da população brasileira adulta hoje sofre de dores ou doenças crônicas que podem ser beneficiadas. Temos um espaço muito importante para ocupar”, diz Viviane Sedola.

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *